Leitor,
Pare!
Leia!
Pondere!
Decida-se!

SE ACREDITA QUE A INTELIGÊNCIA

SE FIXOU TODINHA EM LISBOA

NAO ENTRE NESTE ESPAÇO...

Motivo: A "QUINTA LUSITANA "

ESTÁ SITUADA NA PROVÍNCIA...

QUEM TE AVISA, TEU AMIGO É...

e cordialmente se subscreve,
Brasilino Godinho

quinta-feira, junho 20, 2019


MEU PERSISTENTE SENTIR IMPERATIVO DE SERVIÇO PÚBLICO

Brasilino Godinho

Verdade de Senhor de La Palice é que não sou um super-homem. Cidadão com dilatadas dezenas de anos de cadastro existencial sem qualquer averbamento criminal, sou possuidor de virtudes, qualidades, atributos, conhecimentos, pecados, defeitos, debilidades e ignorâncias, como qualquer circunspecto indígena português.
Porém, hei protagonizado ocorrências algo invulgares que em certos casos tiveram grande divulgação pública em Portugal e nalguns países; nomeadamente, o meu percurso universitário iniciado a 20 de Outubro de 2008, aos 77 anos de idade e terminado aos 85 anos, com a obtenção de uma Licenciatura e de um Doutoramento pelas Universidades de Aveiro e do Minho.
Desde que me reconheço como ser pensante, a partir dos 8 anos, que tomei interesse pelo mundo em que estou inserido; o que, na adolescência, terá sido factor determinante para, ao compasso do tempo, acompanhar atentamente as vivências da sociedade portuguesa, da sociedade brasileira e da sociedade espanhola; sem descurar atenção aos acontecimentos mundiais desenrolados nos cinco continentes.
A título de curiosidade refiro que durante a Segunda Guerra Mundial seguia tão interessado as evoluções da política internacional e das operações bélicas nas diferentes frentes de operações bélicas na Europa, na África e no Extremo-Oriente, que – frequentemente - sustentava acesas discussões com adultos; o que lhes causava espanto; até pela razão de que, geralmente, estava melhor informado do que eles.
Isto escrito para dar a conhecer aos meus leitores e eventuais apoiantes da minha candidatura a deputado à Assembleia da República, de que, com tais antecedentes e hábitos cívicos e intelectuais, forçosamente, eu teria de ser cidadão muito interessado na situação da nação portuguesa; no acompanhamento da Administração Pública; na análise das políticas prosseguidas pelos governos; nas apreciações com sentido de rigor e de isenção das actividades parlamentares e, na actualidade, com extrema acuidade no estado de degradação geral e muito abrangente de Portugal.
E como decorrência de meu sempre latente estado de espírito e de um persistente sentir imperativo de serviço público a prestar em prol do povo sofredor e vilipendiado deste desafortunado país, sobremodo evidenciado nas precárias condições de sobrevivência das faixas etárias (jovens e idosos, estes designados em plena Assembleia da República, como “Peste Grisalha), tomei resolutamente a decisão de avançar com candidatura a deputado da Assembleia da República – o que aconteceu a 27 de Maio de 2019.
Formalizei o propósito com anúncio público e a divulgação de uma mensagem dirigida aos secretariados dos quatro maiores partidos representados na Assembleia da República, indagando da disponibilidade que algum manifestaria em incluir o meu nome na sua lista de candidatos; visto que o N.º1, do Artigo 151, da Constituição da República Portuguesa, impõe a obrigatoriedade da inclusão dos cidadãos na lista de um partido – só os partidos podem apresentar candidatos.
Confrontado com esta blindagem constitucional a minha candidatura só terá viabilidade se algum partido, proceder como se fosse barriga de aluguer.
Presentemente, o único dado que possuo sobre a hipótese que hei colocado é que nenhum dos partidos contactados, se dignou dar-me qualquer resposta, incluindo a simples indicação de ter recepcionado a mensagem – o que sobreleva da crescente desvalorização dos valores educacionais que se verifica na sociedade portuguesa.
Resta-me anunciar que irei reiterar a indagação junto dos dois maiores partidos por considerar que serão, talvez, os que mais possibilidades terão para satisfazer a pretensão de Brasilino Godinho ser candidato a deputado como representante da “Peste Grisalha” de que, orgulhosamente, é parte integrante.

quarta-feira, junho 19, 2019

19 DE JUNHO DE 2015
19 DE JUNHO DE 2019
TUDO COMO DANTES,
QUARTEL GENERAL EM ABRANTES·

Há pouco tempo o ex-banqueiro Salgado até gozou férias, de insosso, no estrangeiro...

19 de Junho de 2015
NOVELA: O HÓSPEDE DA CELA 44
Brasilino Godinho

Estou à vontade para falar do caso José Sócrates.
Enquanto governou o “menino de ouro” do PS, bastante escrevi sobre a sua acção governativa e a gravidade de que se revestiram as políticas implementadas pelo governo sob sua chefia.
Aqui - e agora que está na mó de baixo e é forçado hóspede da cela 44, do estabelecimento prisional de Évora - não vou atacá-lo. Nem defendê-lo.
Vou limitar-me a fazer um registo de factos concernentes ao que poderemos designar por novela: O HÓSPEDE DA CELA 44.
A qual tem início a 21 de Novembro de 2014, com a detenção da criatura socrática no aeroporto da Portela, quando regressava de Paris.
A partir da data da prisão do ex-primeiro ministro sucederam-se os episódios: interrogatórios, visitas ao detido, declarações de advogados, dos amigos e correligionários, manifestações de apoio, exibições de cartazes, etc,.
Mas, sobrelevando todas essas variações mais ou menos mediáticas que, por vezes, tomaram o cariz de espectáculos folclóricos, há a participação diária de certa imprensa na divulgação dos chamados segredos de justiça.
Nessa absorvente tarefa de exposição pública das peças do processo, destacam-se o diário ‘Correio da Manhã’ e o semanário ‘SOL’. Dir-se-á que naqueles jornais se instalou um ódio de estimação para com José Sócrates.
Aquele diário todos os dias acrescenta uma novidade quanto ao rol dos ilícitos atribuídos ao ex-primeiro ministro. O semanário com nome de estrela que é o centro do nosso sistema planetário, não fica atrás do diário matinal e quase todas as semanas traz achegas ao desenvolvimento dos episódios das fugas de informação atinentes à violação dos segredos da justiça – que pelos vistos é uma invulgar e particularizada justiça sem segredos.
Existe a sensação que os dois jornais têm em mãos o desenrolar do processo de condenação de José Sócrates no tribunal da opinião pública.
Com a imensidade de textos acusatórios publicados no ‘Correio da Manhã’ e no ‘SOL’ já se poderia compor um livro com muitas centenas de páginas.
A novela também inclui os sucessivos recursos interpostos para os tribunais da Relação de Lisboa e Supremo Tribunal de Justiça.
Hoje, pela Internet, ficámos sabendo que o último recurso referente à libertação de Sócrates foi rejeitado pelo Tribunal da Relação de Lisboa, constituído pelas juízas Maura Maurício, Teresa Féria e juiz José Reis. Este juiz votou vencido.

Da declaração do juiz José Reis, aditada ao processo, destacamos:
“Não se pode fazer um juízo fundamentado acerca da complexidade da investigação, sendo certo que não há complexidade alguma em investigar o nada.”
“No fundo este tribunal fica sem saber o que, concretamente, com relevância criminal se está a investigar.”
“Em momento algum o recorrente (José Sócrates) foi confrontado com quaisquer factos ou indícios concretos susceptíveis de integrar o crime de corrupção.”

Estas declarações do juiz José Reis são de grande importância e demonstram que a novela socrática está sendo muito mal contada.

E duas lições se extraem:

Primeira lição: abriu-se um mau precedente quando se prendeu uma pessoa para ser investigada a sua conduta. E por falar em conduta pôs-se o carro à frente dos bois. E se o carro foi, desordenado, em frente; os bois fizeram marcha atrás e ninguém os deteve, na pachorrenta e incerta caminhada.

Segunda lição: o preso José Sócrates, da cela 44, da cadeia de Évora, é suspeito de fraude fiscal, branqueamento de capitais e corrupção. Sem culpa apurada foi dentro.
O ex-banqueiro Ricardo Salgado suspeito de fraude fiscal, branqueamento de capitais, corrupção, falência do banco e grupo BES, que terá causado a desgraça de inúmeros clientes da instituição bancária, sem culpa formalizada em processo penal, está fora, há largos meses. Nem sequer se antevê a hipótese de ir dentro.

O pretexto para a prisão de Sócrates seria haver perigo de fuga para o estrangeiro e de poder dificultar o normal curso das investigações.
Já quanto a Ricardo Salgado parece não haver perigo de escape para o estrangeiro, nem o senhor DDT (“dono disto tudo”), um cativante paz de alma, se disporá a complicar o desempenho profissional dos eventuais investigadores.

Enfim, a Justiça portuguesa, impondo-se com recurso à dualidade de critérios e contemplando-se no seu grande esplendor.
4Maria-Fernanda Pinto, Joaquim Vieira e 2 outras pessoas1

Legenda:
Caricatura de Brasilino Godinho
 

 

terça-feira, junho 18, 2019

"DE QUE JORNALISMO PRECISA A DEMOCRACIA" - Programa televisivo na noite de 19-06-2019. Qualquer cidadão alfabetizado tem resposta na ponta da língua. Portanto, de todo, debate dispensável e inútil.


A pertinente questão a colocar deveria ser esta: DE QUE DEMOCRACIA PRECISA O JORNALISMO PARA CONTINUAR A ESTAR-SE NAS TINTAS RELATIVAMENTE À DEMOCRACIA?
Seria mais valorizado o debate e melhor aproveitado o tempo.

Opinião de Brasilino Godinho, candidato a candidato a deputado à Assembleia da República, representando a "Peste Grisalha" .

domingo, junho 16, 2019


PARA QUE CONSTE E O
PÚBLICO FIQUE CIENTE
Brasilino Godinho
Ele, deputado com peste parlamentar, disse: 
"peste grisalha".
Eu, com peste grisalha, digo:
riqueza grisalha! Dei provas!

Há 1 ano
Brasilino Godinho
16 de Junho de 2018 às 23:32 ·

COM AUTORIDADE MORAL
REPUDIANDO A CALÚNIA DE PESTE GRISALHA

EU, BRASILINO GODINHO, CIDADÃO OCTOGENÁRIO, INTEGRANTE DO GRUPO ETÁRIO QUE FOI CALUNIADO POR UM DEPUTADO DO PSD COMO SENDO PESTE GRISALHA, VENHO DEMONSTRAR QUE SEREMOS, SIM, RIQUEZA GRISALHA; POR SINAL, MUITÍSSIMO DESPERDIÇADA. E OS SEUS DETENTORES OFENDIDOS, MALTRATADOS E AGREDIDOS NA SUA DIGNIDADE.
O PÚBLICO DISSO TOME NOTA!

RELATIVAMENTE AOS GOVERNANTES E POLÍTICOS, DIGO-LHES: ABRAM OS OLHOS! APUREM OS OUVIDOS! FAÇAM OS POSSÍVEIS PARA USAR A INTELIGÊNCIA! AINDA QUE ELA, EVENTUALMENTE, SEJA ALGO ABSTRUSA E LIMITADA.

SOBRETUDO, E ULTRAPASSANDO OS BLOQUEIOS POSTOS PELOS ENFERMOS DA PESTE PARLAMENTAR, APLIQUEM AS ORIENTAÇÕES E NORMAS PRECONIZADAS PELA DECLARAÇÃO DE LISBOA, DE 22 DE SETEMBRO DE 2017, COM O AVAL DA ONU (ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS) SOBRE OS DIREITOS DOS IDOSOS; QUE O GOVERNO ASSINOU E PROCLAMOU QUE IRIA CUMPRIR. E ATÉ HOJE, NADA!

TENHAM A CORAGEM DE REPUDIAR A PESTE DAS DESQUALIFICADAS LICENCIATURAS ARRELVADAS, SOCRÁTICAS E FELICIANAS; MESMO QUANDO ELAS SEJAM APRESENTADAS COMO VINDAS DA AMÉRICA DO NORTE POMPOSAMENTE EMBRULHADAS NO BICO DE MALFADADA CEGONHA…

MEU PRIMEIRO REGISTO HISTÓRICO
DE DEMONSTRAÇÃO DA RIQUEZA GRISALHA

Formação académica de BRASILINO GODINHO
Doutorado no dia 05 de Julho de 2017, aos 85 anos.
Recebeu Diploma de Doutor no p. dia 02 de Junho de 2018.

• Doutoramento em Estudos Culturais – Especialização em Hermenêuticas Culturais
(aprovado por unanimidade do júri do acto académico realizado a 05 de Julho de 2017).

• Diploma de Estudos Avançados em Estudos Culturais, concedido a 16 de Setembro 2013
(classificação de 16,23 valores – média ponderada)

• Licenciatura em Línguas, Literaturas e Culturas
(concluída em 18 de Dezembro de 2012 – classificação final de 15 valores, aos 81 anos de idade).

Entrada pela primeira vez, aos 77 anos de idade, a frequentar uma universidade: Outubro de 2008; com 17 valores de classificação nas provas de acesso à Universidade.

•Curso Industrial de Serralharia Mecânica (classificação final de 13 valores)
• Curso de Instrução Primário (classificação final de Distinto)

Legenda da foto:
Brasilino Godinho recebendo o Diploma de Doutor