Leitor,
Pare!
Leia!
Pondere!
Decida-se!

SE ACREDITA QUE A INTELIGÊNCIA

SE FIXOU TODINHA EM LISBOA

NAO ENTRE NESTE ESPAÇO...

Motivo: A "QUINTA LUSITANA "

ESTÁ SITUADA NA PROVÍNCIA...

QUEM TE AVISA, TEU AMIGO É...

e cordialmente se subscreve,
Brasilino Godinho

segunda-feira, setembro 18, 2017



Jornal Público
Edição de 18/09/2017
Raquel Martins
Respigamos:
ONU debate em Lisboa como idosos podem ser uma mais-valia

Ministro Vieira da Silva, responsável do encontro, está na expectativa de que, nos dias 21 e 22 de Setembro, os conferencistas tenham a capacidade de ter uma visão abrangente sobre o envelhecimento.
São três os temas:
«O primeiro aborda as estratégias para sensibilizar a sociedade para o potencial dos idosos e do reconhecimento das suas competências;
o segundo apresentará estratégias bem sucedidas que permitem aos idosos prolongar a sua vida activa e discutirá o impacto das inovações tecnológicas sobre o emprego dos mais velhos;
e o terceiro vai abordar as políticas e medidas que permitam às pessoas ter um processo de envelhecimento “com dignidade”.»

A revista COFRE, no seu último número titulou:
BRASILINO GODINHO
DOUTURAMENTO DE AVEIRO PARA O MUNDO
Face ao que se transcreveu do Público quanto à conferência de 21 e 22 do mês corrente, que vai ser organizada sob a orientação de Vieira da Silva, Ministro do Trabalho e da Segurança Social, e aos três temas da agenda de trabalhos, estamos convencidos que, se o doutoramento de Brasilino Godinho repercutiu pelo Mundo o seu eco, em contraposição, ter-se-á perdido pelas quebradas alfacinhas e passado despercebido do ministro Vieira da Silva e de seus companheiros da governação.
Daí decorrer o que será um desperdício de oportunidade; a qual, poderia ser aproveitada, por um membro do governo nacional, para dar testemunho da demonstração feita por cidadão português da extrema validade, suprema importância e grande pertinência, dos citados três temas da conferência da ONU.

E para ministro Vieira da Silva que está na expectativa da capacidade dos conferencistas terem visão abrangente sobre o envelhecimento… não lhe ficaria mal que também ele tivesse a capacidade que exige aos outros participantes…
Ministro Vieira da Silva
Nota: Brasilino Godinho                        
Caloiro aos 77 anos de idade.
Licenciatura aos 81 anos de idade (14 de Dezembro de 2012).
Doutoramento aos 85 anos de idade (05 de Julho de 2017).

domingo, setembro 17, 2017



Folha de S. Paulo

Ora Pois

Um olhar brasileiro sobre Portugal
 


Por Giuliana Miranda
Concluir um doutorado é um momento marcante para qualquer estudante. Mas, em Portugal, a defesa de uma tese na Universidade de Aveiro foi recheada de ainda mais emoções: o candidato a doutor tinha 85 anos.
Ingressar no ensino superior sempre esteve nos planos de Brasilino Godinho, mas a vida sempre o levava para um caminho diferente.
Primeiro, foi a questão financeira e a necessidade de trabalhar desde muito jovem. Depois, o casamento e o nascimento dos filhos.
“A decisão de seguir um curso universitário foi tomada no ano de 1947, tinha 16 anos de vida.
Durante 60 anos não foi possível aceder à universidade por não ter condições financeiras e porque havia que atender às prioridades da família e da educação e formação universitária de dois filhos”, conta.
Em 2008, viúvo aos 77 anos —já aposentado e com os rebentos já formados em engenharia civil— Brasilino resolveu finalmente ir atrás do antigo sonho da universidade.
Prestou o vestibular e foi aprovado para o curso de letras da Universidade de Aveiro, no centro-norte de Portugal.
Dedicado, ele logo foi encorajado pelos professores a seguir na pós-graduação.
 
 
Brasilino Godinho fotografado no dia em que apresentou a sua tese. Foto da Universidade de Aveiro

Como terminou a licenciatura com uma nota muito boa —15 em na escala de zero a 20 do sistema de ensino português—, ele pode pular o mestrado e se matricular diretamente no doutorado.
Com a tese “Antero de Quental: um Patriotismo no Porvir de Portugal”, Brasilino diz querer ajudar na reflexão sobre a situação atual de seu país, que, segundo o recém-doutor, passa por “uma grave e abrangente crise” em vários sentidos,
“Foi também no sentido da tese se constituir como válido instrumento de despertar a sociedade para a premente necessidade de recuperar os valores e as lições do magistério moral, cívico, cultural e político de Antero de Quental”, explica.
Embora se diga realizado e pleno com o doutorado, Brasilino não pensa em parar.
Ele se considera um “jovem de quase 86 anos de idade” e espera “ser exemplo e inspiração para as novas gerações e… para os idosos que tenham possibilidade de continuar ativos”.